quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Meu nome é Bartowsky - Chuck Bartowsky

Fim de janeiro. Despeço-me deste mês compartilhando com vocês o sonho que tive, alguns dias após conversar com minha esposa  que de fato já não éramos mais tão jovens, que já não tínhamos mais o mesmo pique, que antigamente éramos mais interessados e coisas deste tipo.

Sonhei que eu era Chuck Bartowsky- o nerd que sem querer se torna um agente secreto e envolve-se com a agente encarregada de protegê-lo, a linda Sarah Walker. Claro, estou falando da série de espionagem-comédia "Chuck", uma de minhas favoritas.
No sonho eu era Chuck e minha esposa era Sarah. Éramos lindos, jovens, apaixonados, um deslumbre resplandescente de perfeição.



Só tinha um pequeno detalhe: Morávamos em uma favela.

Acordei achando que tive um sonho bobo sem pé nem cabeça. Mas depois de alguns dias tive aquele momento de epifania, quando tudo magicamente passa a fazer sentido:

É SIMPLES: NA VIDA, NUNCA TEMOS TUDO. SEMPRE NOS FALTA ALGUMA COISA.

E, normalmente, independente de quem somos,é assim que passamos pela vida: sentindo que nos falta algo, incomodados com o que não temos , e não contentes com o que tempos...












quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Tragédia em RS - Por que, Deus meu?



Com que facilidade, Deus meu
somos destruídos
nossos sonhos se vão
nossos desejos, moídos

Tantas vidas jovens 
em um instante se apagam 
sementes que ainda brotariam
em um instante passam

Por que, Deus meu? Por quê?
por que uma colheita tão precoce
de tantos talentos jovens
não entendo, por mais que me esforce

E neste momento
a dor nos unifica
a nação vira um
é a lágrima que nos edifica

Pense, Pensador, pense!
tenha enfim a paz
ao encontrar respostas
de uma dúvida tão voraz

Investigue, esforce-se!
descubra por que a tragédia aconteceu
foi a vontade de Deus
ou foi por causa do livre arbítrio que Ele nos deu?

A nação está de luto 
tomada de indignações
mas ainda será assim 
quando começar a Copa das Confederações?

Ou será que só clamamos por justiça
na hora da raiva e da dor
e depois deixamos para lá
e só queremos futebol, samba, calor?

Tantas vidas perdidas de uma só vez
e eu aqui, no outro extremo do Brasil
pensando em frente a uma tela de LED
seria diferente morrer só um em vez de mil?

Se fosse só uma pessoa normal
a vítima da tragédia fatal
o país pararia
em comoção nacional?

Uma única vítima do descaso
de certos órgãos municipais
e de uma boate armadilha 
teria tal destaque nos telejornais?

Se houvesse um só morto 
vítima de tanta irresponsabilidade
haveria tamanha repercussão
ou diriam "foi só uma fatalidade"?

"Foi acidental", dizem os imitadores de Pilatos
"não procure culpados
a vida é assim
sorte lançada nos dados"





Atenção: este texto é fictício,mas baseados em em pessoas e fatos reais. Reprodução permitida. Favor mencionar a fonte:
opensadorxyz.blogspot.com.br
 











Telephone


-Eu sei tudo sobre você- disse o homem de forma ameaçadora, intimidando a mulher que de modo instintivo  encolheu-se, sentindo o coração bater mais forte. Sentiu-se em perigo. O desconhecido prosseguiu:

-Mora na rua B deste bairro; Trabalha em telemarketing; Estuda Comunicação à noite; É viciada em café, toma um litro por dia; está tentando parar de fumar, mas até agora agora o máximo que conseguiu foi ficar dois dias sem um cigarro; Quer fazer terapia, mas tem medo que as pessoas achem que você está maluca; Flagrou seu namorado há cinco meses dando em cima de sua melhor amiga; Está só desde este dia, mas seu supervisor joga umas cantadas baratas e você está indecisa se topa ou não; Sua mãe cobra de você que tenha mais juízo, que volte à ir para igreja, coisa que você fazia quando era criança; Faltou ao trabalho duas vezes no último semestre por causa de ressaca; Está misturando café com Coca-cola para conseguir estudar de madrugada; Comprou uma lingerie sexy mas ainda não teve coragem de usá-la; a última vez que fez sexo foi...

-Chega!- gritou a mulher, levantando-se rapidamente da mesa onde estava almoçando- Quem é você? Como sabe de tudo isto? É algum detetive? ou pior, um psicopata?

-Nada disto- disse o homem com uma expressão cansada dominando seu rosto -Sentei ao lado no ônibus ontem e durante quase uma hora de engarrafamento teve que aturar você falando sem parar no celular...

                                           *       *      *

Atenção: este texto é fictício,mas baseados em em pessoas e fatos reais. Reprodução permitida. Favor mencionar a fonte:
opensadorxyz.blogspot.com.br






terça-feira, 29 de janeiro de 2013

" Lado bom da tragédia no RS" ( Como é que é??? )



-Sabe o lado bom da tragédia  lá do Rio Grande do sul?

-Não existe- respondi pacientemente. Silas já havia tomado umas seis doses e eu, o abstêmio contratado para ser seu anjo e levá-lo para casa , suportava estoicamente seu hábito de falar mais do que devia sobre qualquer assunto. Víamos na televisão do bar as imagens da boate em RS e era impossível ficarmos indiferentes. Era um pequeno apocalipse que se vislumbrava, algo terrível demais para ser descrito só com palavras. Tantas vidas perdidas de uma só vez, que horror.

Mas Silas insistia em compartilhar sua ideia - por mais estapafúrdia que fosse-  e eu era o único disposto a ouvi-lo.

-Claro que existe! É que você bebeu pouco, por isto seus pensamentos estão restritos ao que a televisão mostra!

-Na verdade eu não bebi nada, mas diga qual é o tal "lado bom" desta tragédia sem tamanho.

-Nós, os vivos, podemos comodamente nos colocarmos como juízes e desferir sentenças à vontade.

-Que conversa é esta?

-Sempre que acontecem tragédias deste tipo podemos culpar quem quisermos! E é tão bom podermos ficar por cima, acusar os outros de suas loucuras, irresponsabilidades e condutas egoístas! Esquecemos a miséria que é nossa própria existência!  Quem você culpa por este incêndio terrível?

- Eu sei lá, teria que ter mais informações para poder falar alguma coisa...

-Fique à vontade para apontar quem você quiser! Sério! Eu acuso sem medo o dono da boate. O local não tinha saída de emergência, culpa dele que não pensou na segurança da galera que foi se divertir. Mas tem muitos outros, a fila é enorme. E não importa se a acusação procede ou não , o importante é darmos nossa opinião. Isto é que é democracia! Você não acompanhou o que está rolando nas mídias sociais ?

Silas tinha facebook, twitter, acessava salas de chat e participava de grupos de discussão virtual. Secretamente eu achava que seu interesse por estas ferramentas era uma forma que ele achou de tentar provar que não era tão velho, afinal faltava pouco para ele chegar aos...

-Tem culpado de todo tipo lá!- prosseguiu Silas, como se contasse uma história fascinante -Por exemplo:
Os seguranças que barraram a saída das vítimas, achando que eram pessoas tentando sair sem pagar ;
A prefeitura e os órgãos municipais que permitiram o funcionamento daquele lugar mesmo sem terem padrões adequados de segurança;
O tribunal que emitiu alvarás provisórios permitindo o funcionamento da boate;
A banda que usou fogos de artifício dentro de um recinto fechado;
-Tem acusações mais bizarras- continuou ele após terminar sua dose e sinalizar por mais uma rodada- deixa ver se eu me lembro...ah, sim, lá vai, escuta só:
-Um grupo radical disse que a tragédia foi criminosamente criada para distrair a atenção da população acerca de uma votação que criará mais impostos
- Outro grupo disse que a culpa era de Deus, afinal , Ele não é todo-poderoso?
-E teve um pessoal ( que se dizia religioso ) que insinuou que se a galera  estivesse rezando na igreja ao invés de curtindo uma balada, estariam todos vivos hoje...então eles querem dizer que os culpados são as próprias vítimas?

Silas continuou discorrendo por mais uns dez minutos, enfileirando sua listas de culpados( possíveis, prováveis e improváveis ). Eu tinha que perdoá-lo por seu falatório. Eu devia muito a ele. Mas mesmo assim, voei em meus pensamentos e nem escutei  uma parte de seu monólogo, até que ouvi as palavras ...

-Já vou - disse ele levantando-se rápido. Pediu  a  conta e então usou o celular :

-Quero duas. Vou pagar no cartão. Vocês tem alguma com traços asiáticos? Ótimo! A outra fica a critério de vocês, contanto que seja bem gostosa. Mande pro Motel Etc & Tal, perto do Bar com B Maiúsculo.

Era óbvio que ele estava contratando garotas de programa. As duas eram só para ele, mesmo alto por causa das doses, Silas sabia que eu não achava certo pagar por sexo. Mas ele nunca fez algo assim de forma tão aberta. Eu deveria levá-lo para casa e agora a programação estava alterada. Parece que ele percebeu minhas indagações e então explicou:

- Não suporto ver tanta morte- disse ele referindo-se à programação da televisão no bar, que informava sem parar notícias sobre a tragédia e a dor da perda dos familiares - Não quero pensar que minha hora também pode chegar a qualquer momento. Preciso de alguma coisa que me faça sentir que eu ainda estou vivo...


                                                   *                   *                *    

ATENÇÃO - Este texto é fictício, baseado em fatos e pessoas reais. Reprodução permitida. Favor mencionar a fonte  : opensadorxyz.blogspot.com.br  













 

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Um ano sem o talentoso Al Rio


Morre o desenhista cearense Al Rio

12h07 | 31.01.2012

" O desenhista cearense Alvaro Araújo Lourenço do Rio foi encontrado morto na manhã desta terça-feira (31), informa a Coordenadoria Integrada de Operações de Seguraça (Ciops). Al Rio, como era conhecido, tinha 40 anos e morreu em sua residência, no bairro Serrinha, em Fortaleza.

Recentemente, o ilustrador também participou da primeira edição da Fortaleza Comic Con, realizada durante o Sana Fest, no último fim de semana (28 e 29 de janeiro).
O ilustrador tinha uma consolidada carreira internacional, já tendo trabalhado para as gigantes dos quadrinhos Marvel e DC Comics, além de outros selos americanos como Vertigo, Dark Horse, Wildstorm e Image. No âmbito local, o desenhista já trabalhou com Daniel Brandão, JJ Marreiro e Geraldo Borges.
Al Rio ficou bastante reconhecido por seu trabalho em títulos como “X-Men Unlimited”, “Captain America”, “WildC.A.T.S”, “Secret Files”, “Vampirella” e “Voodoo”, dentre outros. "
http://diariodonordeste.globo.com/noticia.asp?codigo=334258&modulo=969





A notícia acima é de 2012. No dia 28 de janeiro, tive o prazer de ver pessoalmente o artista no Sana Fest.
Foi uma grande perda sua inesperada partida poucos dias depois.
Al Rio fez parte de uma geração de brasileiros que a partir dos anos 1990  desbravou o mercado americano dos quadrinhos. Ele, juntamente com nomes como Mike Deodato Marcelo Campos e Roger Cruz  fecharam contrato com grandes editoras.

Especialista em desenhar mulheres extremamente sexys, Al trabalhou com títulos famosos, como X-men, Homem -Aranha, Star Wars, Capitão América e outros.

Lamentável constatar que a grande mídia deu pouca -ou nenhuma -  atenção à perda deste grande artista cearense. Na verdade, a repercussão foi maior em outros países do que por aqui...

Faltando poucos dias para completar um ano sem Al Rio, presto esta mínima homenagem a este talento da minha terra que nos deixou tão cedo ; que seu exemplo de dedicação sirva como motivação para muitos outros.















Esta é minha centésima postagem. Agradeço de coração às minhas irmãs, ao meu irmão Sócrates e à minha terapeuta Doutora Luz. Sem o apoio de vocês, eu jamais conseguiria chegar tão longe.


domingo, 20 de janeiro de 2013

Estranho Apego a Desconhecidos que Amamos

"No dia que a Xuxa morrer, vou querer morrer com ela".
Esta frase - carregada de exagero, claro- foi pronunciada por uma amiga na época de colégio. Achei sem sentido uma admiração deste tipo e secretamente julguei-a infantil por seu zelo com a "Rainha dos Baixinhos", a quem ela sequer conhecia pessoalmente. 
Mas então lembrei do meu pai, exatamente neste dia 20 de janeiro, há  trinta anos, quando vi pela primeira vez uma lágrima em seus olhos. Foi a morte de Garrincha, grande ídolo do futebol, ganhador de duas Copas do Mundo pela seleção brasileira (1958 e 1962). Suas jogadas com as pernas tortas eram célebres, seus dribles, desconcertantes. A cirrose hepática (oriunda de problemas com a bebida) o levou com apenas 49 anos. Em seu epitáfio , palavras que resumiam sua importância para o Brasil  : "Aqui jaz em paz aquele que foi a Alegria do Povo- Mané Garrincha.".
  


Eu tinha pouco mais de 10 anos e não ligava para futebol. Mas nunca esqueci da lágrima do meu pai, normalmente tão distante no que dizia respeitos a demonstração de sentimentos.
Há pessoas que apesar de nunca conhecermos pessoalmente representam muito para nós.  E as vezes só quando elas partem para o outro lado é que nos damos conta disto. São artistas, cantores, esportistas, líderes. Muita gente chorou quando Getúlio Vargas morreu (apesar de sua faceta de ditador, ele era o "pai dos pobres"); Elvis Presley ganhou lágrimas de pranto por fãs em todo o mundo quando faleceu em 1977; Hebe Camargo vai ser lembrada por muita gente que jamais conviveu com ela pessoalmente, mas que acompanhava seu trabalho e era acostumada ao seu "gracinha"; e quantos milhões de pessoas só perceberam o quanto Michael Jackson era relevante para suas vidas quando o Rei do Pop foi encontrado morto em 2009? (sou uma destas pessoas....)







Eles são seres humanos como nós que brilham de alguma forma- pelo talento , pela influência, pelo carisma; e nossa admiração pela luz temporária que eles emanam cria este laço. Estas pessoas, de alguma forma, entram na história de nossas vidas e de certa forma estão em nosso DNA.
Não tenho nenhuma dúvida que chorarei quando pessoas como Daniel Azulay, Jerry Lewis, Jimmy Swaggart e Stan Lee forem chamados para o outro lado. Pessoas que nunca vi pessoalmente mas que estão ligadas à minha infância, à minha formação como ser humano que hoje sou. 
Então peço perdão a minha amiga por ter criticado seu apego à Xuxa. Todos nós temos em nossos corações -ainda que bem oculto- um Estranho Apego à pessoas que podemos até não conhecer pessoalmente, mas que de alguma forma admiramos. E, na verdade, quando elas partem, um pouquinho de nós morre com elas... 

DANIEL AZULAY

JERRY LEWIS


JIMMY SWAGGERT

STAN LEE


 E eu tenho certeza que muita gente vai chorar quando Lula partir, não importa quantas acusações pesem sobre ele...   

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

No tempo que eu assistia He-man...


Está bem, eu confesso: Entre meus onze e doze anos fui apaixonado por Teela, a capitã da guarda real do reino de Etérnia. Só fiquei curado deste amor impossível quando conheci...


                               SHE-RA


                                      

Hoje sou um homem maduro e , claro, não passo mais por este tipo de situação. 
Apenas de vez em quando eu sinto um estranho vazio quando penso que Bleach acabou e nunca mais verei a doce Inoue...  




quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

A Verdadeira Corrida da Morte



Você já perdeu algum parente, amigo, ou mesmo conhecido em acidente de trânsito? Eu já. E, com certeza (infelizmente) sou um dentre muitos brasileiros que sofreram este tipo de perda.
A nova campanha do trânsito promovida  pelo governo, emociona. Ao invés de simplesmente mostrar cenas de acidentes,  que, convenhamos, já estamos saturados de ver todos os dias em noticiários , enfatiza  a perda que todos nós sofremos de talentos que poderiam servir à nação.
Vidas interrompidas por acidentes que poderiam ter sido evitados. Causas que conhecemos bem:  Exibicionismo, bebida, uso de drogas, irresponsabilidade com a própria vida – imagine, então, com a do próximo.
Há muitas teorias sobre o motivo de tanta insensibilidade. Como sou um Pensador formado com base cristã, defendo que a raiz de tais males está no egoísmo inato do ser humano, que leva o homem a orbitar sua existência em torno de si mesmo, seus prazeres, seus alvos, suas metas –e o próximo que se dane.  A falta de amor a Deus, de uma espiritualidade que conecte nossa existência à de outras pessoas, leva o ser humano à uma existência de egoísmo. E uma vida movida a egoísmo pode  tomar decisões erradas – e uma delas é exatamente ser irresponsável ao volante.
Sou forçado a concordar com a propaganda. Tantas vidas perdidas, tantos talentos desperdiçados. Pela estatística oferecida por Fitipaldi (veja o vídeo) meio milhão de vidas foram perdidas em trinta anos.

E uma delas foi a do meu tio, por acaso, também há trinta anos. Sei que é inútil remoer certas coisas, mas as vezes não consigo evitar! Acabei imaginando: Será que o motorista do veículo que subiu a calçada e atropelou meu tio, assistiu esta propaganda?  Teria ele sentido alguma coisa? Será que simplesmente mudou de canal para não ter que encarar  o fantasma da culpa passada?


No tempo da radiola...


Houve um momento no tempo da história humana em que não havia celular, nem internet, nem mp3, nem cd.
E por mais improvável  que possa parecer, sobrevivemos. Fiz parte desta geração. A imagem acima é de uma radiola dos longínquos anos 1970. Era com esta parafernália que ouvíamos música. Era antigo, era arcaico, mas havia mais alma presente quando comprávamos um disco, limpávamos com uma flanela, ligávamos o aparelho e o braço mecânico com uma agulha na ponta corria pelo bolachão de vinil e nos brindava com a magia da música. Não era sorround. Não era digital. Era manual até demais. E talvez por isto quem teve uma radiola lembra dos seus discos favoritos com carinho, pois era algo muito físico colocar um disco para tocar  e quando temos a presença de  elementos físicos criamos um vínculo de memória afetiva  que não é facilmente esquecido. Daí porque sempre lembramos do primeiro beijo, por exemplo.
Abaixo, alguns sons que meu pai comprava e eu ouvia "no tempo da radiola"...

KARL DOUGLAS - KUNG FU FIGHTING ( muito antes de existir o Kung Fu Panda...)


RIVERS OF BABYLON - BONEY M ( este era tocado em um Compacto - um disco de vinil pequeno que só cabia umas quatro músicas...)


FERNANDO MENDES - CADEIRA DE RODAS ( eu achava a música triste - era muito jovem para entender certos dramas- mas a letra é de uma beleza que dificilmente se encontra nas músicas de hoje...)


THE POP'S (música instrumental; eu gostava demais! Era um dos discos que eu mais ficava mexendo na agulha para poder ouvir várias vezes...)


E agora olhe para seu arquivo no computador (ou celular) com algumas centenas de músicas mp3 e tente lembrar: Qual foi a primeira música via download que você ouviu? Neste corrido tempo da era digital temos alguma memória afetiva de nossos sons favoritos?









quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

COMO ASSIM "...ERA DO LULU SANTOS"? ELE NÃO MORREU!!!

Hoje, no programa de rádio que escuto pela manhã, logo após a versão de "Tempos Modernos" interpretada  pela banda J. Quest, ouvi a seguinte pérola: "...esta música era do Lulu Santos há muitos anos..."

Como assim "..era do Lulu Santos"? A música não é mais dele? Ele morreu, por acaso? Abriu mão dos direitos autorais? 

A questão é que regravar sucessos antigos com bandas do momento é uma estratégia que comercialmente dá certo. Então a nova geração abraça a "nova" música e nem lembra (ou sabe) que estão ouvindo uma versão. Mas nem sempre esta tática funciona... 

Psy, com a viciante Gangnam Style, é um bom exemplo. Ela só tocou nas rádios brasileiras depois que explodiu na internet. E Latino já tinha uma versão pronta da música para lançar e abocanhar o sucesso pegando carona na "dança do cavalo doido" criada pelo rappper sul coreano. A repulsa dos fãs de Psy foi decisiva para barrar o oportunismo de Latino. Mas e se não houvesse tal reação, que música estaria entre as mais tocadas nas rádios de 2012, a original de Psy ou a versão de Latino?




Nada contra a versão de "Tempos Modernos" com o J. Quest, que, aliás, sempre manda muito bem. 
Mas daí dizer que a música  "...era do Lulu Santos", é um exagero. A música ainda é do Lulu!
E continuará a ser, mesmo quando chegar o dia em que ele partir.


Mas aí, como Pensador que sou, não pude deixar de raciocinar o seguinte: 

NA VERDADE NADA É NOSSO  

Tão rapidamente passamos por esta vida.
Com que facilidade deixamos de existir e viramos uma memória que logo é esquecida...
E nossas coisas, o que é feito delas?
Quem vai ficar com minhas roupas?
O que vai ser feito dos meus livros favoritos?
E meu computador?
E a televisão LCD?
Quem vai ficar com meus rascunhos, pensamentos desconexos registrados em borrões que tentam de alguma forma entender o quebra-cabeça da vida?
E meus DVDs?
E  meus quadrinhos?
Quem vai ficar com meus "tesouros"?
Como ao morrer nada levamos, então todas as  posses que defendemos com unhas e dentes serem nossa propriedade, ficam para os outros...












terça-feira, 15 de janeiro de 2013

ED BENES- ELE TEM A FORÇA!


He-man está de volta! A DC Comics (dona dos personagens Super-Man, Batman, Mulher -Maravilha, Lanterna Verde, Flash e muitos outros) vai publicar uma série em quadrinhos com o Herói que fez parte da infância de muita gente( Inclusive eu, quantas vezes saí correndo do colégio quando eu tinha uns doze anos para chegar ao tempo de assistir as aventuras do eterno defensor de Etérnia!). Sobre a publicação, confira no link   http://www.naopercas.com/online/2808/dc-comics-lanca-titulo-mensal-de-he-man/
Nosso talentoso artista brasileiro, Ed Benes, desenha a capa da primeira edição com o retorno de He-man.
Parabéns a este talento nacional, que da pequena cidade de Limoeiro do Norte ganhou o mundo com seus traços perfeitos. 
Veja outras obras de arte de Ed Benes: 










Veja o Studio Ed Benes no link  http://edbenesstudio.blogspot.com.br/



                ELE TEM A FORÇA!!!






sábado, 5 de janeiro de 2013

DE VOLTA À TERRA MÉDIA - ESTE HOBBIT SOU EU!


Foi muito bom retornar à Terra Média. No primeiro dia de 2013, tive o privilégio de conferir a obra de J.R.R. Tolkien , "O Hobbit", em sua versão para os cinemas dirigida por Peter Jackson, que que nos brindou entre 2001 e 2003 com os espetaculares "O Senhor dos Anéis", "As Duas Torres", e "O Retorno do Rei", sendo que o último arrebatou merecidamente 11 Oscars.

Ouça a trilha sonora...É uma viagem!

Não vou mentir: senti sono durante a primeira meia hora. Achei o ritmo lento e fiquei pensando quantas horas mais eu teria que ficar sentado na poltrona do cinema. Mas quando a história deslancha não desaponta de forma alguma, muito pelo contrário! Além da verdadeira viagem que é podermos rever a geografia da Terra Média - um mundo imaginado por Tolkien descrito com riqueza de detalhes em seus livros - a ação com algumas doses de humor segue ininterrupta como uma verdadeira montanha russa de altos (tensão ao máximo) e baixos (pausas para respirar que não duram muito).

No auge da febre que foi a trilogia Senhor dos Anéis, li "O Hobbit". Foi muito bom conferir o cuidado de Tolkien em estabelecer as raízes da mitologia que ele criou. E dentre todos os personagens apresentados, penso que o mais interessante é exatamente o menos provável de todos : Bilbo Bolseiro.


Várias raças são apresentadas: Elfos, Anões, Orcs, Trolls, e, claro, os humanos - por acaso os mais facilmente tentados pelo poder a qualquer preço. Mas são os pacíficos Hobbits que roubam a cena exatamente por sua simplicidade. Criaturas pacíficas, dedicadas à agricultura, adoram o conforto de uma boa morada e estoques de boa comida e bom vinho. Bilbo é exatamente assim- e não quer mudar. Ou quer? A visita do mago Gandalf, o Cinzento, mexe com as estruturas do outrora tranquilo hobbit. Ele é convidado (convocado?) a  participar de uma aventura grandiosa, que o faria sair de seu vilarejo -sem ter certeza se voltaria para casa. Para criaturas simples e metódicas como os hobbits, um chamado destes soaria como absurdo! Sair do vilarejo? Arriscar-se? Deixar minha zona de conforto?Não saber ao certo se poderei voltar? Só entendendo a natureza de um hobbit é que percebemos a extensão do desafio que é lançado para o relutante Bilbo Bolseiro. E o mais surpreendente de tudo é ele aceitar o desafio e durante sua jornada descobrir em si mesmo a existência de uma coragem  inimaginável. Algo que provavelmente Gandalf, com seus olhos de mago, teria percebido existir nele, uma fagulha que se atiçada poderia criar uma grande luz.
É este movimento de Bilbo, aceitando enfrentar um desafio, que me surpreendeu no livro - e igualmente no filme, que retrata este momento com perfeição. Ele não tem super poderes, não é forte, não é um soldado, mas sem sombra de dúvida é um guerreiro.



E concluo dizendo: Este Hobbit sou eu! Amo minha zona de conforto! Não quero me arriscar! Quero minha rotina previsível, meu dia calculado, sem surpresas! Mas algo em mim grita que devo me arriscar; que se eu não me mover, nada mudará; que só correndo riscos eu tenho alguma chance de conquistar algo mais nesta vida tão breve. De vez em quando ouço Gandalf me chamando para um desafio. E eu posso perfeitamente me recusar a correr riscos. Mas algo em mim, uma fagulha, me atiça a aceitar este chamado. Uma voz me diz que eu sou muito mais do que aquilo à que me acostumei ser. Que meus limites foram criados por mim, e que cabe somente a mim mesmo confrontá-los...



Lembre-se do que Bilbo costuma dizer: "É um negócio perigoso", Frodo, "Sair da sua porta, você pisa na estrada, e se não controlar os seus pés, nunca se sabe para onde será levado."

citação retirada de "O SENHOR DOS ANÉIS"      J. R. R. Tolkien

               





O Hobbit - A primeira parte de uma nova trilogia? Parece que sim...
                                   













terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Três doses para brindar o ano-novo...

Gente, 2013 está agora diante de nós!
O que eu faço para dar significado a mais um ano de vida, supondo que conseguirei ir até o fim deste período?
Quanto tempo este blog fica  "vivo" na net, se eu morrer e -obviamente- nunca mais fizer novas postagens?

Compartilho três vídeos que assisti neste primeiro dia do ano...

                                          Nunca ouvi Michael Jackson deste jeito...

                                         
                                     

                                             Cuidado com a intolerância religiosa...



                                          E olha a dança dos africanos na hora de entregar as 
                                          ofertas...
                                     

                                 





FELIZ 2013 PARA TODOS!